Astolfo – O dedinho da mão direita e o batismo cítrico

De mãos alongadas, com palmas curtas e dedos compridos. O dedinho de sua mão direita reservava uma característica diferente dos outros. Na verdade, todos os dedos possuíam características muito peculiares, o que acabava por designar um título honorário a qualquer fotógrafo que resolvesse tirar fotos de cada um separadamente. Pareceria que cada dedo veio de uma pessoa diferente. O dedinho da mão direita, o único com a unha um pouco falha, e roída, possuía como exclusividade uma mancha escura de limão de seus áureos tempos de churrasqueiro, quando se comprometia a embriagar as menininhas nas festas com sua famosa caipirinha.
Uma de suas empreitadas como o homem da caipirinha, a famigerada, causadora da mancha, aconteceu num desses churrascos que não tem carne, só jovens e bebidas. Para variar, Astolfo ficou responsável pela caipirinha, e desatou a confeccionar seus drinques, um após o outro, quase sem descanso. Era um dia bastante ensolarado, e a festa estava bem cheia. Em virtude disso, trabalhou bastante, e experimentou quase todos os drinques que fez. Devido ao calor, às vezes dava até goles maiores, e então sejam bem vindos ao primeiro porre de Astolfo, aos 14 anos. Desmaiado na grama, com o dedinho sujo de limão, haveria de ganhar ali sua mal querida manchinha de limão.
A mancha começava no ossinho que ligava a palma da mão à falange e abraçava até quase a ponta. O mais curioso disso tudo é que apesar de ter sido causada involuntariamente, fazia parecer que três braços com luvas do Mickey estivessem realmente abraçando o dedo. As curvas lembravam aqueles dedos gordinhos do rato da voz fina.
O dorso de seu dedo possuía uns pelos finos e penteados, e a última articulação antes da unha era meio calejada, devido ao atrito desta parte com superfícies de toda espécie. Isso porque Astolfo possuía uma mania irritante de ficar roçando esse dedo em toda mesa que sentava, como um tique nervoso. Por vezes, trocava o atrito por mini batuquezinhos, incluindo o famoso “pam pararam pam, pam, pam”, só que sem ritmo algum.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s